BLOG


dez 12

Porque substituir próteses removíveis por próteses fixas?

Na perda de um ou mais dentes, ou até mesmo todos eles, a Odontologia oferece a opção de utilizar uma prótese dentária como forma de resgatar o sorriso. Todo planejamento de prótese depende do desejo da paciente, do que o caso necessita, e do que se pode alcançar de acordo com a disponibilidade financeira.

A primeira diferença entre os dois modelos está na possibilidade de remoção ou não. No caso do removível, ele pode ser parcial ou total “A parcial pode ser adaptada aos elementos dentários impedindo que se solte nos sentidos cérvico-oclusal e mesio-distal através de grampos, ou mesmo por retenção (lábio/saliva). Já a prótese fixa depende de algo que a adapte, como o cimento, no elemento dentário ou que una a ele, no caso, as pontes fixas”.

Conheça ambas…

Prótese fixa
As próteses fixas são constituídas por coroas, pontes e próteses totais suportadas por implantes. As coroas são capas que se destinam a reconstituir a coroa natural do dente parcialmente destruído. Implica a existência de parte da estrutura do dente que se propõe reconstruir e ao qual será colada através de um cimento próprio. A ponte é uma restauração protética destinada a substituir um ou mais dentes, apoiando-se em dentes vizinhos ao espaço desdentado.

Prótese removível
As próteses removíveis podem ser parciais e totais. As parciais removíveis podem ser totalmente em acrílico ou terem uma parte metálica chamada esqueleto e destinam-se a substituir um ou mais dentes. Estas últimas são conhecidas como esqueléticas.

As próteses parciais removíveis em acrílico são as mais baratas e deveriam ter apenas um carácter temporário. No entanto são as mais usadas por razões socioeconômicas. Este tipo de prótese é mantido na boca pelas retenções presentes nos dentes que ainda restam. Apoia-se nos tecidos moles e no caso de algumas esqueléticas também nos dentes naturais ainda presentes.

Mas entre removível e a fixa, qual escolher?
Existem as mais variadas propostas reabilitadoras para o paciente edêntulo. Trata-se de uma questão de condições locais, gerais, financeiras e de habilidades profissionais. Não podemos nos esquecer de identificar as reais necessidades do paciente, entender suas angústias e expectativas, e pensar em uma solução individualizada e não estandardizada. Talvez esse seja o ponto fulcral do sucesso reabilitador.

Nos casos em que faltam poucos dentes ou quando existe parte da estrutura do dente, a opção é sempre preservar, sendo a prótese fixa a escolha ideal, pelo seu conforto e estética. No entanto, a decisão depende de um diagnóstico que apresentará a melhor solução para cada caso.

As próteses removíveis como as próteses fixas apresentam o mesmo objetivo. No entanto, apesar de em muitos casos devolver algum conforto e qualidade de vida, muitos pacientes debatem-se diariamente com problemas de retenção e estabilidade das próteses removíveis, queixando-se da dificuldade em mastigar e muitas vezes falar devido ao movimento causado por este tipo de próteses.

As próteses fixas são mais confortáveis e estéticas, devolvendo na maioria dos casos a função e a confiança do paciente de uma maneira harmoniosa. A principal diferença entre as próteses fixa e removível é justamente a mobilidade. Enquanto a primeira é fixada pelo dentista e não pode ser movida pelo paciente, a segunda pode ser retirada sempre que ele desejar inclusive durante a higiene bucal.

Como o nome já diz, é cimentada e não poder ser removida pelo paciente. Geralmente é feita de porcelana, considerado o melhor material, mas também pode ser feita de resina. A prótese pode ser colocada sobre um pino inserido na raiz de um único dente ou pode ser feita apoiando-se nos dentes vizinhos que serão preparados para servir como pilares, método mais conhecido com ponte dentária.

Mas substituir próteses removíveis por próteses fixas, tem a ver com a possibilidade de permitir, para além de compensar dentes perdidos, a possibilidade de proteger ou aumentar a estética dos dentes ainda existentes? A outra grande vantagem da prótese fixa, tem a ver com o fato de se tornar muito mais cômoda uma vez que ocupa apenas a área dos dentes envolvidos, o que também aumenta a estética.

Cuidados com uso da prótese
O maior cuidado que o paciente precisa ter quando você faz uso de uma prótese é com a alimentação. As removíveis devem ser evitadas as substãncias pegajosas, além daquelas que sejam muito duras. Enquanto que nas fixas também devem ser evitados esses alimentos para não precisar quebrar algo no dente artificial.

Higienização da sua prótese
Caso a sua nova parceira bucal seja removível, é importante escovar não só os dentes remanescentes. Deve-se também escovar a prótese com uma escova dura e com sabão neutro ou então um creme dental não abrasivo. Já no caso das fixas, quando em caso de pontes fixas, deve-se utilizar as escovas interdentais e os passa-fios para melhor uso do fio dental. E se for o caso de peças únicas, escova normal ou interdental resolvem esse problema. E claro, não esquecer do fio dental!

Como escolher a melhor opção de tratamento?
A única pessoa que pode indicar a melhor opção de tratamento com prótese dentária para cada caso é um dentista. Depois que ele fizer a avaliação da boca, tirar radiografias e verificar a saúde de dentes, ossos e mucosas, ele apresenta a melhor alternativa.

E isso varia de acordo com as possibilidades do paciente, já que os custos dos tratamentos mudam conforme o procedimento e a qualidade dos materiais usados para confeccionar as próteses. O importante é procurar um profissional de confiança, com as qualificações necessárias para cuidar bem de seu sorriso.

Mas qual das duas é mais indicada? Porque substituir próteses removíveis por próteses fixas?
Existem alguns pontos a se pensar na hora de decidir qual prótese usar. Em primeiro lugar, o que determina a escolha de uma ou outra é o histórico clínico e médico do próprio paciente. Depois, há em ambas opções requisitos mecânicos, estéticos e biológicos específicos, e por isso vai depender de cada caso. Se você prefere estética e conforto, a mais indicada seriam as fixas, pois as parciais perdem nesse quesito. Já se o desejo é reduzir custos, deve-se optar pelas removíveis. Agora, se quer uma maior preservação da estrutura dentária, as fixas serão melhores.

AGENDAMENTO

Preencha o formulário abaixo e entraremos em contato em breve